segunda-feira, 15 de julho de 2013

NO DIA DO JULGAMENTO FINAL.




PROVÉRBIOS/CAPÍTULO 11


11.1   O SENHOR Deus detesta quem usa balanças desonestas, mas gosta de quem usa pesos justos.

11.2   O orgulhoso será logo humilhado; mas com os humildes está a sabedoria.

11.3   As pessoas direitas são guiadas pela honestidade. A perversidade dos falsos é a sua própria desgraça.

11.4   No Dia do Julgamento Final, as riquezas não adiantam nada, mas a honestidade livra da morte.

11.5   A honestidade torna mais fácil a vida dos bons, porém os maus causarão a sua própria desgraça.

11.6   A honestidade livra o homem correto, mas o desonesto é apanhado na armadilha da sua própria ganância.

11.7   Quando o perverso morre, a sua esperança morre com ele; a esperança dos maus dá em nada.

11.8   O homem honesto escapa da angústia, porém o mau a recebe em lugar dele.

11.9   As palavras dos maus destroem os outros, mas a sabedoria livra do perigo os homens corretos.

11.10   A cidade fica contente com o sucesso das pessoas honestas, e há gritos de alegria quando morre um homem mau.

11.11   Quando as pessoas honestas abençoam uma cidade, ela se torna importante, mas as palavras dos maus a destroem.

11.12   É tolice tratar os outros com desprezo; o homem prudente prefere ficar calado.

11.13   O mexeriqueiro espalha segredos, mas a pessoa séria é discreta.

11.14   O país que não tem um bom governo cairá; com muitos conselheiros, há segurança.

11.15   Quem ficar como fiador de qualquer um acabará chorando. Será melhor não se comprometer.

11.16   A mulher bondosa é estimada, mas a imoral é uma vergonha. O preguiçoso nunca terá dinheiro, mas quem tem iniciativa acaba ficando rico.

11.17   Quem age com bondade faz bem a si mesmo, e quem pratica a maldade acaba se prejudicando.

11.18   Os maus não ganham nada com a sua maldade, mas quem faz o que é direito na certa será recompensado.

11.19   Quem está resolvido a agir direito viverá, e quem insiste em fazer o mal morrerá.

11.20   O SENHOR Deus detesta quem tem coração perverso, mas se alegra com as pessoas corretas.

11.21   Os maus certamente serão castigados por Deus, mas os bons escaparão do castigo.

11.22   A beleza na mulher sem juízo é como uma jóia de ouro no focinho de um porco.

11.23   Os planos dos bons trazem felicidade; o que os maus planejam produz ódio.

11.24   Algumas pessoas gastam com generosidade e ficam cada vez mais ricas; outras são econômicas demais e acabam ficando cada vez mais pobres.

11.25   Quem é generoso progride na vida; quem ajuda será ajudado.

11.26   O comerciante que armazena mantimento, esperando preço mais alto, é amaldiçoado pelo povo; mas o que põe à venda o que tem é estimado por todos.

11.27   Quem procura o bem é respeitado, mas quem busca o mal será vítima do mal.

11.28   Aquele que confia nas suas riquezas cairá, porém os honestos prosperarão como as folhagens.

11.29   Quem dirige mal a sua casa acaba sem nada. Quem não tem juízo será sempre escravo de quem é sábio.

11.30   Uma pessoa correta traz bênçãos para a vida dos outros; quem aumenta o número de amigos é sábio.

11.31   Assim como os bons são recompensados aqui na terra, também os pecadores e os maus são castigados.